jusbrasil.com.br
5 de Junho de 2020

Eles não sabem o que dizem: a triste vida de um advogado e o seu problema de saúde!

A profissão de advogado tem, aos nossos olhos, uma dignidade quase sacerdotal. Toda a vez que a exercemos com a nossa consciência, consideramos desempenhada a nossa responsabilidade. (Ruy Barbosa)

Adilson Gomes, Advogado
Publicado por Adilson Gomes
há 5 anos

Eles na sabem o que dizem a triste vida de um advogado e o seu problema de sade


Bem amigos, venho primeiramente pedir desculpas, por está um pouco sumido da Blog e da JusBrasil, pois sendo que o meu pai (que também é advogado e é por ele o motivo do artigo desta semana) encontrava-se internado em um Hospital com problemas cardíaco. Entre noites más dormidas e acompanhando uma séria cirurgia no coração, ele recebeu alta médica somente ontem (24/09/2015).

Pois sendo, acho que o leitor deve está se perguntando: por qual motivo que o escritor deste artigo está falando da doença do pai? (não se esqueça de um detalhe: Ele é advogado!)

Pois bem, o motivo que exponho publicamente o problema de saúde do meu pai, foi por causa da situação verídica (tentando plagiar o comediante) sobre essa profissão de sacerdócio que é a advocacia! Pois ao ter alta médica, enquanto me encaminho para pegar o meu pai no Hospital, minha irmã se encaminhou até o médico pelo simples motivo de conseguir uma declaração atestando a condição de cirurgia em que tinha se submetido (implantação de um marca passo definitivo no coração), sendo que ao chegar até as enfermeiras ela escutou que não tinha mais como achar o médico, pois este já teria ido embora.

Ao escutar tal afirmação, a minha irmã prontamente explicou a situação as enfermeira sobre o que se tratava, dizendo-lhes: “Por favor, pois queria falar com ele sobre um atestado médico, sendo que ele é advogado e não poderá comparecer as Audiências marcadas para essa semana, tendo que justificá-las!” ao falar isso, as enfermeiras automaticamente refutaram e disseram: “Advogado?! Mas advogado não faz nada, só faz assinar papel, pra quê ele quer atestado?!”

Como assim não faz nada?! No momento do entardecer faço das palavras do Senhor Jesus as minha, que disse: “Perdoai-vos pai, eles não sabem o que dizem.

Eles não sabem senhor! Que a doce vida de um advogado começa logo na manhã, onde antes de tudo, acordamos, tomamos um banho e um café preto, colocamos sapatos que apertam, gravatas que apertam, saias que apertam. Alguns pegam o carro, que de uns poucos é Mercedes e de uns muitos é Palio, Celta e Corsa. Outros tantos pegam metrô, ônibus e trem. Uns pegam a bicicleta, outros a moto. E começa o dia.

Eles não sabem que a doce vida de um advogado começa de manhã cedo, pelo simples motivo que geralmente os juízes colocam a pauta das audiências para logo o raiar do dia (hoje, a minha primeira audiência foi às 07:30h). Aí saímos da Audiência já temos prazos, vamos as outras Varas para conversar com outros Juízes sobre aquele Alvará preso ou aquele prazo que esta terminando e temos que entregar petições pessoalmente, para ajudar a estressar ainda mais o inicio do dia, temos um trânsito imenso de buzinadas e reclamações dos motoristas!

Dia esse que começa com a cabeça cheia. Mas tudo bem, porque os eles também terminamos com a cabeça cheia de coisas para o próximo dia. Mas fique tranquilo, amigo leitor, que o dia ainda nem começou!

Não sabem eles senhor! Que terminamos nos habituando com clientes chatos, em reuniões exaustivas, no qual devemos explicar um milhão de vezes “a mesma coisa” e ainda na hora da audiência quando o cliente vai falar, fala tudo ao contrario do que combinamos no dia anterior na Reunião!

Elas não sabem senhor! Que no momento que estamos imprimindo aquela petição do processo físico (ainda) a impressora trava, temos que chamar o cara que conserta a impressora. Tirar aquela dúvida com o contador. Comprar o novo código. Preparar três defesas e dois recursos. Tirar cópias. Ver se aquele pagamento atrasado caiu.

Eles não sabem senhor! O quanto de clientes insanos que temos. Que gritam, que mandam 7 e-mails em 20 minutos, que nos ligam no domingo, que nos acusam de não estar dando atenção ao caso dele, mesmo que estejamos acompanhando o andamento todo santo dia.

Eles na sabem senhor! E Poucos sabem que temos clientes que simplesmente não nos paga. E não são poucos. E que esses honorários que a gente deixa de receber não servem para comprar bolsas caras ou ternos italianos. Servem para pagar aluguel, para pagar o estagiário, para comprar os livros que embasam nossas teses. E mesmo quando os clientes pagam, nem sempre o orçamento fecha.

Eles também na sabem senhor! E nesse doce dia a dia a gente estuda. Lê o Código de Processo que mudou. Lê artigos sobre o que mudou no Código de Processo. Advogados, depois de pelo menos 5 anos de estudo, se matriculam na pós. Vão a congressos. Palestras. Seminários. Querem fazer mestrado. Os que não vão, quase sempre é por falta de grana. Porque com a falta de tempo e com a falta de saúde a gente já aprendeu a lidar, fazer malabarismo, fazer milagre.

E o engraçado é que para o senso comum, todo mundo pode ganhar dinheiro. O jogador de futebol é pelo talento. O artista pelo dom. O médico pelos estudos. O engenheiro pela dedicação. Mas o advogado não. Se o advogado ganha bem, todo mundo já acha que é porque se aproveita dos clientes, faz esquema. Não pode ser por talento, nem dom, nem estudo, nem dedicação.

A verdade é que enche o saco ficar ouvindo que advogado é o cara explora as pessoas, que ganha dinheiro fácil, que enrola todo mundo. Existe advogado desonesto? Sim. Assim como médico desonesto, engenheiro desonesto, jogador de futebol desonesto, e até enfermeiras desonestas! Mas digo com a maior tranquilidade: esses caras são exceção, não regra.

Conheço advogados que ficaram ricos. Como? Estudando muito, trabalhando madrugadas, sacrificando outros projetos. Também conheço um monte de advogado que está sem grana. Por azar, por parcerias erradas, por erro de administração. Mas não conheço nenhum, nenhum advogado que esteja rico ou pobre porque trabalha pouco. Trabalhar pouco e ser advogado são expressões que nunca andam juntas.

Não espero flores nem presentes por ser advogado. Mas espero respeito. Carrego uma carteirinha vermelha no bolso e um orgulho imenso no peito pelo que faço. Sou advogado. Tenho orgulho das minhas olheiras e da minha trajetória. Tenho orgulho de pertencer a essa classe que batalha pela própria sobrevivência e pelo direito alheio. Tenho orgulho de desempenhar função essencial à justiça, ainda que o mundo pareça nos ver como inimigos. Mas sabemos quem somos, sabemos o quanto lutamos.

E só pra finalizar: No outro dia, no caso Hoje ainda fui ao Hospital falar com o Médico que prescreveu um atestado de 30 (trinta) dias a ele! Coisas que a nossa profissão apenas assina papeis, sendo que lógico que não desmerecendo nenhuma outra profissão!

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Realmente! existem esteriótipos acerca do profissional de direito que precisam ser desconstruídas,assim como, existem maus profissionais que utilizam da desonestidade e do mau caráter para enriquecer de maneira ilícita, existem bons profissionais, e acredito, que esses são sem dúvida a grande maioria, o advogado que se destaca necessita de muitos anos de estudo e dedicação,a área do direito por si só tem como base fundamental muito empenho. continuar lendo